Profissional Especialista ou Generalista?

Publicado por | Marketing Pessoal

Entrevista de Emprego - os detalhes que fazem a diferença

Não raro, os profissionais possuem dúvidas no momento de optar pelas habilidades técnicas que buscarão para as suas carreiras. Neste respeito, podem surgir perguntas como estas:

Devo optar por uma profissão generalista como, por exemplo, administrador de empresas, bacharel em direito, clínico geral e outras? Vale a pena especializar-se em alguma atividade específica, por exemplo, um administrador de recursos humanos, gestor em marketing de varejo ou de serviços?

A resposta é que não existe uma resposta certa para esta pergunta. Mas, antes de qualquer coisa, é importante mencionar que uma ampla gama de profissionais não se tornaram nem especialistas e nem generalistas. Para esses, infelizmente, posso dizer que as portas do mercado de trabalho já estão fechadas para as melhores oportunidades, sobrando apenas vagas para funções nas áreas menos privilegiadas. E quanto aos demais? Bem, para decidirem se devem ser especialista ou generalista, a resposta está no contexto, ou seja, tudo dependerá das várias situações em que o profissional se encontra neste momento e possivelmente se encontrará no futuro. Por exemplo, se você for um médico é bem provável que tenha maior sucesso profissional se for um especialista, pois quanto maior for o grau de especialização de um médico, neste contexto, maior o seu valor. É por isso que eles acabam optando por fazerem especializações a fim de conseguirem melhor destaque no mercado de trabalho.

Em muitos outros casos é desejável que os profissionais adquiram especializações afins, ou seja, aquelas que não estarão relacionadas diretamente à área em que se formaram inicialmente, mas que valorizarão suas qualificações técnicas. Um exemplo disso é o caso de um advogado com especialização em direito tributário que acaba optando por fazer uma outra graduação em ciências contábeis, para entender melhor a aplicação das leis tributárias nos aspectos contábeis, podendo até atuar de forma mais completa como um consultor tributário. Neste caso, esse profissional sem dúvida terá maiores oportunidades de se destacar no mercado de trabalho como um todo.

Em muitas outras situações, será mais desejável sermos generalistas. É o caso, por exemplo, dos diretores, administradores, e gerentes, enfim cargos de nível hierárquico superior. Aliás, os profissionais formados em administração de empresas, por exemplo, recebem uma visão generalista sobre liderança, gerenciamento, marketing e contabilidade. Esses profissionais serão mais valorizados nas áreas onde se exige uma visão macro dos negócios, sendo o caso dos cargos de direção nas empresas. Quanto maior for o nível hierárquico de uma pessoa na empresa em que está empregada, tanto maior será a necessidade de se ter uma visão macro do negócio.

Para os empreendedores que dirigem os seus próprios negócios, uma formação generalista, na maioria dos casos, será bem aproveitada. Para melhor entender a relação entre a formação generalista com o grau hierárquico da pessoa, podemos exemplificar isso da seguinte forma:

Nesta pirâmide, notamos que os cargos existentes na parte superior da pirâmide envolvem cargos de direção, onde a formação generalista, dentro de áreas aplicáveis a serem exercidas, serão bem aproveitadas.

Pessoalmente, a minha recomendação é que profissionais das áreas onde não se exija uma visão macro ou generalista é fundamental que tenham uma especialização a fim de valorizar suas habilidades profissionais. Tomando como base o exemplo dos graduados em administração de empresas é importante que eles possuam uma especialização como finanças, gestão de pessoas, liderança, psicologia e outras. Apesar disso, mesmo que você esteja no topo da pirâmide de uma organização, talvez como sócio de uma empresa ou diretor de uma organização, procure avaliar se a sua formação lhe dá todos os subsídios para administrar corretamente o negócio.

Talvez você possua uma graduação em áreas que carecem de qualificação administrativa necessária para uma direção eficaz, por isso uma avaliação honesta de si mesmo poderá revelar pontos a serem aprimorados na sua carreira. Perguntas como:

  • Minha formação permite que eu possa exercer cargos de direção?
  • Estou preparado para gerir equipes de trabalho, tendo plena condição de motivá-los a darem o melhor de si?
  • Não seria proveitoso para minha carreira obter uma especialização a fim de aprimorar minhas habilidades?
  • Não estou tornando-me um profissional desatualizado com as novas tendências de carreiras profissionais?
  • Se eu sair hoje desta organização, estou qualificado academicamente para uma recolocação rápida no mercado de trabalho?

Respostas sinceras a essas perguntas poderão ser úteis para avaliar até que ponto você deve optar por uma especialização. Para concluir as informações sobre especialização é bom deixar claro, que apesar dos exemplos mencionados aqui envolverem especialização para os formados em cursos superiores, pode-se também aplicar outras qualificações técnicas do profissional que não seja graduado, até porque no Brasil ainda são muito poucos os profissionais que tem acesso a uma faculdade. Para se ter uma idéia de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apenas 5,8% das pessoas com mais de 25 anos possuem nível superior.

De qualquer forma, cabe a você avaliar seriamente sobre as possibilidades de se especializar, melhorando assim a sua qualificação profissional.

Uma visão mais aprofundada sobre as diversas formas de um profissional obter um maior destaque profissional serão consideradas adiante quando tratarei das opções disponíveis no mercado.

Texto escrito por Anderson Hernandes
Fonte: O Perfil do Profissional de Sucesso do Mundo Moderno

Last modified: 06/26/2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *